Resenha - A Mão Esquerda de Deus - Paul Hoffman

28/02







Editora: Suma de Letras
Ano: 2010


Páginas: 327













Sinopse:

"Preste atenção. O Santuário dos Redentores no Penhasco de Shotover deve seu nome a uma grande mentira, pois há pouca redenção naquele lugar e ele tampouco serve de refúgio divino". O cenário da trama é desolador. Habitado por meninos que foram levados para lá muito novos, o Santuário dos Redentores é uma mistura de prisão, monastério e campo de treinamento militar. Lá, esses milhares de garotos são submetidos a uma sádica preparação para lutar contra hereges que vivem nas redondezas.
Entre os jovens está Thomas Cale. Não se sabe ao certo se ele tem 14 ou 15 anos ou como foi parar ali. O que se sabe é que Thomas tem uma capacidade incomum de matar pessoas e organizar estratégias de combate. Essas poderosas habilidades serão colocadas à prova quando ele e dois amigos testemunham um brutal assassinato entre os corredores labirínticos da prisão. A visão do crime dá início a uma perseguição desesperadora e, finalmente fora dos muros do monastério, Cale irá compreender a extensão da crueldade dos lordes e a verdadeira origem de seu poder.





Resenha:

 É o seguinte, esse livro tem tudo para ser MARAVILHOSO, da para perceber pela sinopse. Só que não é, é um livro cheio de enrolação, detalhista demais, a gente so encontra mesmo um motivo para continuar lendo ate o final se você for como eu e não gosta de desistir de um livro ate conhecer seu final.
quando eu comecei eu sabia que ele era uma trilogia, e ele me foi muito indicado, mas confesso esse livro não me prendeu pelo contrario, me deu boas noites de sono.
Cale, é realmente um anti-herói mas você começa a sentir pena dele de tamanha ingenuidade, 14 ou 15 anos, é isso que se espera mesmo. Quis muito esperar o melhor do livro, mas foi um engano, que não repetira.
Os personagens são legais, e o conceito tem tudo para ser incrível. To revoltada, foi perca de tempo.
Sem falar que os capítulos são maus divididos, as paginas são claras demais deixando sua vista cada vez mais cansada. Tive que esperar por 200 paginas para ele ficar bonzinho, as lutas são legais quando elas chegam a ocorrer, e as disputas "territoriais" são surpreendentes, mesmo com o cansaço dos detalhes.
Enfim, NÃO RECOMENDO.

Nota: 4


Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Resenha - Quatro Estações - Juliana Marinho

Resenha - Alice no Pais do Amor - Lucilla Guede - Chiado Editora.

Resenha - Confissões de Uma Garota Excluída, Mal-Amada e (Um Pouco) Dramática - Thalita Rebouças